DECLARAÇÃO DE FÉ DO MINISTÉRIO PALAVRA QUE CURA

CREMOS NAS ESCRITURAS:

A Bíblia contém a Palavra inspirada de Deus. É produto de homens santos do passado que falaram e escreveram conforme eram motivados pelo Espírito Santo. Cremos nas alianças registradas no Velho Testamento e na Nova Aliança registrada no Novo Testamento (2Tm 3.16; 1Ts 2.13; 1Pe 1.21).

CREMOS NA TRINDADE:

Nosso Deus é um, mas é manifesto em três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Eles são co-iguais (Fp 2.6). Deus Pai é o maior de todos. Ele é a Fonte da Palavra (Logos) e o Gerador da Vida (Jo 14.28; 16.28 e 1.14). O Filho é a Palavra revestida de carne Aquele que existe com o Pai desde o princípio (Jo 1.1,18,14). Nós cremos que Jesus Cristo de Nazaré é 100% Deus e 100% homem, pois quando veio a Terra a mais de 2.000 anos atrás Ele esvaziou de Sua onisciência, onipresença e onipotência, atuando totalmente como um homem usado pelo Espírito Santo até a Sua ressurreição (Lc 1.26-38; Fp 2.5-11; Jo 17.5; At 2.36 e 3.14,15). O Espírito Santo procede tanto do Pai como do Filho, e é eterno (Jo 15.26 e Hb 9.14). Nós cremos que Ele é a Terceira Pessoa da Trindade, cujo propósito na redenção do homem é convencê-lo do pecado regenerar o arrependido, levar o crente a um entendimento das Sagradas Escrituras, habitar e dar dons ao crente como Ele deseja, de forma que o crente possa andar como Cristo andou entre os homens. Nós cremos que a manifestação do Espírito Santo citada em 1Co 12.8-11 opera nas Igrejas hoje, as quais se submetem ao Senhor Jesus Cristo. Nós cremos que o crente pode ser batizado com o Espírito Santo no momento em que Jesus o está regenerando, ou em qualquer tempo após a sua experiência do Novo Nascimento.

CREMOS NO CRIACIONISMO, QUEDA DO HOMEM E REDENÇÃO:

O homem é um ser criado, feito a imagem e semelhança de Deus. Contudo, através da transgressão e queda de Adão, o pecado entrou no mundo. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23). Assim está escrito: “Não há um justo, nem um sequer” (Rm 3.10). Jesus Cristo, o Filho de Deus foi manifestado para desfazer as obras do diabo (1Jo 3.8). Ele deu a Sua vida, derramou o Seu sangue para redimir, restaurar e justificar o homem para com Deus (Rm 3.21-26 e Ef 1.7). A salvação é o Dom de Deus para o homem, não opera através das obras da lei, mas sim pela graça, por meio da fé em Jesus Cristo, e produz obras agradáveis a Deus (Ef 2.8-10).

CREMOS NA VIDA ETERNA E NO NOVO NASCIMENTO:

O primeiro passo do homem em direção à salvação é a tristeza piedosa que resulta em arrependimento (2Co 7.10). O Novo Nascimento é necessário para todos os homens, e quando cumprido produz Vida Eterna (1Jo 5.12 e Jo 3.3-5). Esta salvação é conquistada pela graça de nosso Senhor e não pelas obras naturais (Rm 4.1-5 e Ef 2.8-10), mas é mantida pela obediência da fé que é a obediência dos mandamentos da dispensação da Graça, o fruto da salvação (Rm 1.5; Tg 2.14-26; Hb 10.35-39 e Ap 3.1-6).

CREMOS NO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO:

O Batismo com o Espírito Santo é um Dom de Deus, como foi prometido pelo Senhor Jesus Cristo para todos os crentes desta dispensação (Mt 3.11). É recebido após o Novo Nascimento, e vem com o propósito de testemunharmos de Jesus, ou seja, crescermos para andar como Ele andou (At 1.8 e 1Jo 2.6). Esta experiência é acompanhada pela evidência inicial de falar em línguas celestiais conforme o próprio Espírito Santo concede para orarmos a Deus de forma perfeita (At 2.38,39; 19.1-7; 2.4 e 1Co 14.2,4).

CREMOS NO BATISMO NAS ÁGUAS:

O batismo nas águas é por imersão. Constitui um mandamento expresso do nosso Senhor para os crentes. A ordenança é o símbolo da identificação do cristão com Cristo em Sua morte, sepultamento e ressurreição (Mt 28.19; Rm 6.4; Cl 2.12 e At 8.36-39). Com respeito ao batismo nas águas, uma regra é adotada, a saber: “Sobre a tua confissão de fé no Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, e pela Sua autoridade, eu te batizo em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém”.

CREMOS NA CEIA DO SENHOR:

Nós cremos na ceia do Senhor como ordenança Dele para a Igreja em lembrança do Seu sacrifício e para comemorarmos a nossa libertação do diabo, do pecado e das enfermidades que veio por meio do sacrifício vicário (1Co 11.23-26).

CREMOS NA SANTIFICAÇÃO:

A Bíblia ensina que sem santificação ninguém pode ver o Senhor (Hb 12.14). Cremos na doutrina da santificação como uma obra definitiva (em nosso espírito) e progressiva (em nossa alma) da graça; começando no momento da regeneração e tendo continuidade até a consumação da salvação (1Ts 5.23; 2Pe 3.18; 2Co 3.18; Fp 3.12-14 e 1Co 1.30).

CREMOS NA NOSSA AUTORIDADE ESPIRITUAL:

Ao morrer na cruz e ressuscitar ao terceiro dia, o Senhor Jesus Cristo destruiu (tirou o poder, despojou) o diabo, seus demônios e todas as suas obras (Hb 2.14,15; Cl 2.15 e 1Jo 3.8), e deu aos filhos de Deus poder e autoridade sobre eles em Seu Nome, nos assentando num trono espiritual Nele, à direita do Pai (Lc 10.19; Ef 1.19-23; 2.6; Fp 2.9-11 e Mc 16.17,18). Quando os salvos andam em fé e amor (submissos a Deus), essa autoridade é manifestada, para a glória de Deus (1Pe 5.9 e Tg 4.7).

CREMOS NA CURA DIVINA:

A cura é para doenças físicas do corpo humano, e é operada pelo poder de Deus através da oração feita com fé, pela imposição de mãos e/ou pelos dons do Espírito Santo. Foi providenciada pela expiação de Cristo, e é um direito de todo o membro da Igreja hoje (Tg 5.14,15; Mc 16.17,18; 1Co 12.7-10; Is 53.4,5; Mt 8.17 e 1Pe 2.24).

CREMOS NOS DÍZIMOS E NAS OFERTAS:

Nós acreditamos que o plano de finanças de Deus para a Sua obra é posto em prática pelos dízimos e ofertas, o que é uma alegria para nós, Seus filhos, reconhecermos Seu senhorio desta forma, onde quando nós devolvemos os dízimos, as ofertas e andamos em obediência no que já conhecemos e entendemos da Palavra damos liberdade para o Senhor manifestar nossas bênçãos financeiras (Ml 3.6-12; Gn 14.17-20; Hb 7.1-10; Mt 23.23 e 2Co 9.6-15).

CREMOS NA IGREJA LOCAL:

Nós cremos que a Igreja de Jesus Cristo se expressa localmente com os crentes que tenham sido batizados em Jesus Cristo pelo Espírito Santo, os quais são submissos a autoridades reconhecidas e autorizadas e se reúnem para adorar, levar adiante a comissão da Igreja e ministrar de acordo com o que o Espírito Santo dirigir (Mt 16.18; 28.19,20; At 2.40-47; 20.28 e 1Tm 3.15).

CREMOS NO GOVERNO DA IGREJA:

Pelo fato de ser mencionado na Palavra que certos homens eram eleitos para determinada função ou ministério, muitos crêem num sistema de governo democrático dentro da Igreja, porém esta afirmação não é bem verdade, porque antes que cada pessoa fosse eleita, Deus, Jesus ou o Espírito Santo já haviam sido consultados e em muitos casos Eles designavam a (s) pessoa (s), levando-nos a entender que o governo da igreja é Teocrático, ou seja, é Deus quem governa, e os homens obedecem (At 1.24-26; 6.3-6; 13.1-4 e 15.23-35).

CREMOS NA RESSURREIÇÃO DOS JUSTOS E NA VOLTA DO NOSSO SENHOR: Os anjos disseram: “O mesmo Jesus voltará da mesma maneira que o vistes subir” (At 1.11). Por sermos pré-tribulacionistas, cremos que a Sua volta para a Igreja será iminente (antes da Tribulação). E quando Ele vier a nós: “... os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares...” (1Ts 4.16,17). Após o Arrebatamento, seremos julgados e recompensados no Tribunal de Cristo com galardões eternos (2Co 5.10 e Ap 22.12) e estaremos “casados” (as Bodas do Cordeiro [Ap 19.7]). Depois da Tribulação, Ele voltará a Terra conosco como Rei dos reis e Sacerdote e reinaremos este mundo por mil anos, e após isso a eternidade no Novo Céu e Nova Terra (Ap 19.11-21; 20.1-6 e 21–22).

CREMOS NO INFERNO, NA RESSURREIÇÃO DOS INJUSTOS E NO CASTIGO ETERNO:

Acreditamos que a palavra “inferno”, que se encontra em muitos textos bíblicos, se refere a três lugares distintos: Tártaro (prisão de alguns anjos caídos [2Pe 2.4]), Seol-Hades (lugar de tormento do espírito e alma dos pecadores mortos fisicamente) e Geena (lugar de tormento eterno onde os pecadores estarão com seu espírito, alma e corpo ressuscitado e imortal). Aquele que morre fisicamente em seus pecados, sem Cristo, o seu homem interior (seu espírito e alma) está sem esperança, sendo atormentado no Seol-Hades (Lc 16.19-31), aguardando a ressurreição do seu corpo para sofrer eternamente na Geena, também chamada de Lago de Fogo (Jo 5.28,29; Mt 10.28 e Ap 20.11-15). Portanto, não há mais oportunidade no futuro para este ouvir o Evangelho do arrependimento. O Lago de Fogo é literal. Os termos “eterno” e “para sempre”, usados para descrever a duração da punição do castigo no Lago de Fogo, trazem o mesmo sentido de existência sem fim que é usada para indicar a duração da alegria e êxtase dos santos na presença de Deus (Mt 25.41,46; Mc 3.29 e Ap 22.3-5).


Copyright Igreja Palavra que Cura Company 2009 © DR. info